Skip to content

MoMA de Nova York atesta: carro é arte, sim!

Por Chico Barbosa

Está rolando até 22 de janeiro, no Museu de Arte Moderna de Nova York (MoMA), uma exposição na medida para se enxergar o carro para além de um meio de transporte, muito além. Chama-se Automania e reúne automóveis, peças, modelos arquitetônicos, filmes, fotografias, pôsteres, pinturas, esculturas e capas de discos (foto), que vão desde os projetos de Lily Reich de 1930 para uma cadeirinha tubular de aço até o Orange Car Crash Fourteen Times de Andy Warhol. 

Nove carros, incluindo um sedã Volkswagen Tipo 1 recentemente restaurado (mais conhecido como o Fusca), convidarão os visitantes a ver de perto as máquinas que o arquiteto Le Corbusier comparou aos templos gregos antigos e o crítico Roland Barthes comparou ao “grande Catedrais góticas … a criação suprema de uma era.” 

Conversa de gente grande, não?

Segundo o MoMA, a exposição aborda os sentimentos conflitantes —  compulsão, fixação, desejo e raiva —  que se desenvolveram em resposta aos carros e à cultura automotiva no século XX. Examinando automóveis como produtos industriais modernos e ícones de estilo, ele também explora seu impacto adverso nas estradas e ruas, saúde pública e ecossistemas do planeta.

Instagram: @chico.barbosa

Blog